... ou a arte de bem fazer política à portuguesa
Domingo, 8 de Março de 2009
Porque hoje é o Dia Internacional da Mulher...

 

... e porque muitas mulheres e homens não conhecem a origem deste dia, deixo-vos aqui um excerto da minha dissertação de mestrado:

 

 

"O dia 8 de Março de 1857 é outro dos marcos importantes na história das mulheres no movimento operário internacional. Cansadas da discriminação de que eram alvo nos locais de trabalho e exigindo a redução do número de horas diárias de labor, de 14 para 12, e o direito à licença de maternidade, as operárias das fábricas de vestuário e têxteis de Nova Iorque promoveram aquela que seria a primeira greve feminina no mundo, acompanhada por uma marcha pela cidade. A paralisação terminou de forma trágica. Por razões nunca devidamente esclarecidas, deflagrou um incêndio na fábrica têxtil Cotton - onde as trabalhadoras se tinham refugiado da polícia, que as perseguira de forma violenta, segundo os relatos da época -, o que causou a morte a 129 mulheres.
            Em 1908, milhares de mulheres voltaram a desfilar pelas ruas de Nova Iorque, reivindicando as mesmas medidas, bem como o direito ao voto. As principais palavras de ordem eram «pão» e «rosas», significando o pão a estabilidade económica e as rosas, a qualidade de vida. Nesse ano, o Partido Socialista norte-americano cria o Comité Nacional de Mulheres, cujo primeiro acto foi o de declarar o último domingo de Fevereiro como sendo o Dia Nacional da Mulher. As primeiras celebrações ocorreram a 23 de Fevereiro do ano seguinte, encabeçadas pelo Partido Socialista, e coroaram-se de grande êxito. Em 1910, as comemorações contaram com a participação em massa das operárias das fábricas de tecido de Nova Iorque, que se encontravam em greve. Calcula-se que dos 30 mil grevistas, 80% eram mulheres. A paralisação durou três meses, tendo terminado apenas no dia 15 de Fevereiro, véspera do Dia Nacional da Mulher. 
Nesse durante o Congresso Internacional das Mulheres Socialistas, realizado em Copenhaga, sob proposta da dirigente do Partido Social-democrata alemão Clara Zetkin[1], o dia 8 de Março é instituído como o Dia Internacional da Mulher Trabalhadora, em homenagem a todas as operárias que lutavam pela aplicação de medidas que traduzissem melhores condições de trabalho e pela instituição do sufrágio feminino. A proposta foi aprovada por mais de 100 mulheres (incluindo as três primeiras eleitas para o Parlamento finlandês) oriundas de 17 países. No ano seguinte, na sequência deste encontro, realizaram-se diversas manifestações, que reuniram milhares de pessoas nas ruas da Áustria, Dinamarca, Alemanha e Suíça. Contudo, seria necessário esperar até 1921 para que a data fosse adoptada universalmente como Dia Internacional da Mulher (que ainda hoje se assinala), o que aconteceu durante a Conferência das Mulheres Comunistas, realizada em Moscovo. Até então, o Dia da Mulher não tinha uma data uniforme. A Rússia, por exemplo, assinalou essa data no dia 3 de Março de 1913, enquanto que em França tal sucedeu a 9 de Março de 1914 e nos Estados Unidos, a 19 de Março do mesmo ano.

 


[1] Clara Zetkin (1857 – 1933) – Professora primária e política alemã, aderiu ao Partido Social-Democrata, dirigindo, a partir de 1892, o jornal oficial do SPD. Entre 1891 e 1917, foi redactora-chefe da revista Die Gleichheit (A Iguadade). Em 1895, integra a direcção do SPD como membro da comissão de control, tendo sido a primeira mulher a desempenhar estas funções. Participa em todos os congressos da II Internacional, tendo sido a responsável pelo relatório sobre a situação e o movimento das mulheres trabalhadoras. Em 1920, representou o Partido Comunista no Reichtag, fixando-se, mais tarde, na Rússia (1923 – 1927). "

Nesse mesmo ano, durante o Congresso Internacional das Mulheres Socialistas, realizado em Copenhaga, sob proposta da dirigente do Partido Social-democrata alemão Clara Zetkin



Sugestões de Leituras

 

Amanhã é o Dia Internacional da Mulher. Decidi, por isso, deixar-vos aqui algumas sugestões de leituras dedicadas ao tema.

 

 

A francesa Simone de Beauvoir foi um marco no movimento feminista a partir da década de 50. Em "O Segundo Sexo", a autora examina a condição feminina em todas as suas vertentes e alguns factos e mitos relacionados com o feminismo

 

Em 1972, as três Marias (Maria Isabel Barreno, Maria Velho da Costa e Maria Teresa Horta) desafiaram os poderes instituídos e publicaram "Novas Cartas Portuguesas". O livro foi considerado "imoral" e "pornográfico" por retratar mulheres livres, que se interrogam àcerca da sua identidade, da sua sexualidade, da sua relação com os homens, que questionam a religião e as regras morais impostas. Por causa disso, as autoras foram proibidas de sair do país e os seus nomes não podiam ser referidos na imprensa. Só o 25 de Abril de 1974 as livrou de um julgamento.

 

 

Belíssimo retrato do Portugal da década de 50 pintado pelas palavras Maria Lamas. Em "Às Mulheres do Meu País", a jornalista traça-nos o quadro da condição feminina a partir das suas várias reportagens em várias regiões do país. A não perder!

 

 

 

Da autoria de Lígia Amâncio e Isabel do Carmos, "Vozes Insubmíssas - A História das Mulheres e dos Homens que Lutaram pela Igualdade dos Sexos Quando era Crime Fazê-lo"  fala-nos da primeira vaga do feminismo, dos movimentos de homens e mulheres que ergueram as vozes pela liberdade e igualdade de direitos das mulheres.




Quinta-feira, 5 de Março de 2009
Código do Trabalho - alterações para 2009

Alteração ao Código do Trabalho, para 2009!

 

1. INDUMENTÁRIA:
O Informamos que o funcionário deverá trabalhar vestido de acordo com o seu Salário.
Se o virmos calçado com uns ténis Adidas de 100EUR ou com uma bolsa Gucci de 150EUR, presumiremos que está muito bem de finanças e portanto, não precisa de aumento.
Se ele se vestir de forma pobre, será um sinal de que precisa aprender a controlar melhor o seu dinheiro para que possa comprar roupas melhores e portanto, não precisa de aumento.
E se ele se vestir no meio-termo, estará perfeito e portanto, não precisa de aumento.

 

2.AUSÊNCIA DEVIDO A DOENÇA:
Não vamos mais aceitar uma declaração do médico como prova de doença.
Se o funcionário tem condições para ir até ao consultório médico também tem para vir trabalhar.

 

3. CIRURGIA:
As cirurgias são proibidas.
Enquanto o funcionário trabalhar nesta empresa, precisará de todos os seus órgãos, portanto, não deve pensar em tirar nada. Nós contratámo-lo inteiro. Remover algo constitui quebra de contrato.

 

4. AUSÊNCIAS DEVIDO A MOTIVOS PESSOAIS:
Cada funcionário receberá 104 dias para assuntos pessoais, em cada ano. Chamam-se Sábados e Domingos.

 

5. FÉRIAS:
Todos os funcionários têm direito a gozar ainda mais 12 dias de férias nos seguintes dias de cada ano:
- 1 de Janeiro,
- Dia de Páscoa
- 25 de Abril,
- 1 de Maio,
- 10 de Junho,
- 15 de Agosto,
- 5 de Outubro,
- 1 de Novembro,
- 1 de Dezembro.
- 8 de Dezembro.
- 25 de Dezembro.

 

6. AUSÊNCIA DEVIDO AO FALECIMENTO DE ENTE QUERIDO:
Esta não é uma justificação para perder um dia de trabalho. Não há nada que se possa fazer pelos amigos, parentes ou colegas de trabalho falecidos. Todo o esforço deverá ser empenhado para que os não-funcionários cuidem dos detalhes. Nos casos raros, onde o envolvimento do funcionário é necessário, o enterro deverá ser marcado para o final da tarde. Teremos prazer em permitir que o funcionário trabalhe durante o horário do almoço e, daí sair uma hora mais cedo, desde que o seu trabalho esteja em dia.

 

7. AUSÊNCIA DEVIDO À SUA PRÓPRIA MORTE:
Isto será aceite como desculpa. Entretanto, exigimos pelo menos 15 dias de aviso prévio, visto que cabe ao funcionário treinar o seu substituto.

 

8. O USO DOS LAVABOS:
Os funcionários estão a passar tempo demais na casa de banho. No futuro, seguiremos o sistema de ordem alfabética. Por exemplo, todos os funcionários cujos nomes começam com a letra 'A' irão entre as 9:00 e 9:20, aqueles com a letra 'B' entre 9:20 e 9:40, etc. Se não puder ir na hora designada, será preciso esperar a sua vez, no dia seguinte.
Em caso de emergência, os funcionários poderão trocar o seu horário com um colega. Ambos os chefes dos funcionários deverão aprovar essa troca, por escrito.
Adicionalmente, agora há um limite estritamente máximo de 3 minutos na sanita. Acabando esses 3 minutos, um alarme tocará, o rolo de papel higiénico será recolhido, a porta da sanita abrir-se-á e uma foto será tirada. Se for repetente, a foto será afixada no quadro de avisos e Intranet do Serviço com o título infractor Crónico.

 

9. A HORA DO ALMOÇO:
Os magros têm 30 minutos para o almoço, porque precisam comer mais para parecerem saudáveis. As pessoas de tamanho normal têm 15 minutos para comer uma refeição balanceada que sustente o seu corpo mediano. Os gordos têm 5 minutos, porque é tudo que precisam para tomar uma salada e um moderador de apetite.

Muito obrigado pela sua fidelidade à nossa empresa. Estamos aqui para proporcionar uma experiência laboral positiva. Portanto, todas as dúvidas, comentários, preocupações, reclamações, frustrações, irritações, desagravos, insinuações, alegações, acusações, observações, consternações e quaisquer outras... ões' deverão ser dirigidas para outro lugar.

 

A Administração. 
 

 

Já estivemos mais longe desta realidade....




Terça-feira, 3 de Março de 2009
We Care For Animals

Denúncie o abandono e os maus tratos dos animais. Divulgue esta campanha junto da sua família, amigos e conhecidos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais cartazes em http://wecare4animals.blogspot.com

 




Segunda-feira, 2 de Março de 2009
A mentira tem perna curta

Continente do Centro Comercial Vasco da Gama. Lisboa.

Manhã de sábado. Enquanto arruma as compras nos sacos, Maria vê-o passar. Com o seu fato cinza claro de sempre, o mesmo cabelo grisalho com ar seboso, boné na cabeça. Corre apressado atrás daquela que presume ser a mulher, que vai já uns passos à frente. Maria nem quer acreditar no que os seus olhos vêem. Por momentos, pensar estar a ter uma alucinação, mas não. Aquele homem, aquele mesmo homem que ali vai, com passo apressado, é o mesmo que todos os dias lhe bate no vidro do carro, quando ela pára no sinal vermelho, e com uma voz entaramelada lhe pede: "Por favor. Esmola!" Calça arregaçada na perna direita, para mostrar uma meia elástica e o aparelho mecânico que têm na perna e que o obriga a coxear. Esse mesmo homem, acabou de passar frente a ela com passo ligeirinho...

 

 

Paragem de autocarro. Centro do Porto.

"Não sabe respeitar a fila?", pergunta Patrícia indignada para a mulher que acabou de entrar no autocarro à sua frente. "Que é que foi?", responde esta, virando-se. Patrícia fica espantada. Esta mulher que agora lhe está a falar de forma agressiva é a mesma que todos os dias, no acesso subterrâneo junto à Estação de São Bento, apregoa "Dêem uma esmolinha à ceguinha", enquanto fixa o olhar no infinito. "Com que então ceguinha, hein? Cegos são aqueles que lhe dão esmola", pensa Patrícia para com os seus botões.

 

 

Rotunda do aeroporto. Lisboa.

Todos os dias, quando Joaquim chegava à rotunda do aeroporto, lá estava o mesmo homem, com a mão estendida, a pedir esmola aos automobilistas. Dizia que por ser maneta não podia trabalhar e, por isso, passava fome. Um dia, Joaquim olhou com mais atenção para o homem e havia algo nele que não fazia sentido. Durante alguns segundos, Joaquim ficou confuso, até que finalmente percebeu: o homem que ontem não tinha o braço esquerdo, hoje apresentava-se sem o braço direito. Continuava maneta, mas de um braço diferente.

 

 

Restaurante típico. Beira baixa.

Aquele homem que acabara de entrar no restaurante com a mulher e os filhos não lhe era desconhecido. Graça sabia que aquela cara lhe era familiar, mas não sabia de onde. O homem e a família sentaram-se e foram recebidos pelo proprietário do restaurante, que os tratou de forma bastante afável. Graça olhava fixamente aquela cara até que se lhe fez luz. Aquele homem era o mesmo que todos os dias encontrava em Lisboa, quando ia trabalhar, a pedir esmola. Quando acabou de almoçar, Graça dirigiu-se ao dono do restaurante e perguntou-lhe quem era aquele homem. Este explicou-lhe que se tratava de um dos homens mais ricos da região, proprietário de vários terrenos e empresas. Graça nem queria acreditar no que ouvia.




Domingo, 1 de Março de 2009
Porque hoje é domingo...

 

 




Me, myself & I
Pesquisar neste blog
 
Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


Posts recentes

Porque hoje é domingo....

Porque hoje é domingo...

Porque hoje é domingo....

Sugestão de solidariedade

Sugestão de solidariedade

Haja coerência!

Dar o exemplo

Porque hoje é domingo...

Sugestão de passeio

Porque hoje é domingo....

Memórias

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags

Outros Jamé!
Bibliografia
"Génese e desenvolvimento do movimento feminista português (1890-1930)", dissertação de mestrado em História do século XX, FCSH/UNL, Abril de 2005
Em co-autoria: "Memórias da Siderurgia - Contribuições para a História da Indústria Siderúrgica em Portugal", coordenação Maria Fernanda Rollo, ed. História e Câmara Municipal do Seixal, 2005
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds