... ou a arte de bem fazer política à portuguesa

Quarta-feira, 30 de Setembro de 2009
E agora, sr. Presidente?

Depois de ter dirigido críticas tão contundentes a figuras proeminentes do PS e ao próprio Governo socialista sobre a criação de climas de suspeição e manipulação de factos/notícias, tem o Presidente da República condições para dar posse a um novo Governo socialista? Que tipo de convivência poderá existir entre duas instituições que se atacam e criticam mutuamente? Que confiança podem ter os portugueses nestas instituições?




Terça-feira, 29 de Setembro de 2009
Cavaco falou, mas não disse nada

Como milhares de portugueses, às oito em ponto lá estava eu diante do televisor expectante quanto à declaração do Presidente da República sobre o caso das alegadas escutas de Belém. O facto de ser uma comunicação ao país e não uma conferência de imprensa, o que impedida a colocação de perguntas por parte dos jornalistas, não augurava nada de bom. Cavaco queria honrar a palavra, de que falaria após as eleições, mas não queria que lhe colocassem perguntas incómodas, às quais não queria (ou saberia) responder.

 

Cavaco acabou por falar, mas não disse nada. Tal como milhares de portugueses, não percebi se desconfia ou não de que está (ou esteve) sob vigilância, não entendi por que razão mandou inspeccionar e reforçar a segurança do seu e-mail, por que não demitiu Fernando Lima e outras questões importantes. Cavaco saiu muito mal na fotografia. Se, de facto, suspeitava que estava a ser vigiado, deveria ter agido na altura, utilizando os meios que tem à sua disposição. Se não suspeitava e o seu assessor se excedeu, deveria demiti-lo e não apenas afastá-lo da assessoria de imprensa. Será que algum dia os portugueses saberão o que realmente se passou? 




Quarta-feira, 24 de Junho de 2009
Um Governo decente... não mente!

A ânsia em querer esconder da opinião pública tudo o que possa beliscar a imagem do Governo dá azo a situações destas. Principalmente, quando se trata de um Governo desgastado, em que o maestro parece já não conseguir com que os seus ministros toquem todos ao mesmo ritmo. Se não, vejamos! Enquanto no plenário, o primeiro-ministro, em resposta a Paulo Rangel (PSD), dizia que Carlos Guerra tinha apresentado a demissão - e esta tinha sido aceite - do cargo de gestor do Programa de Desenvolvimento Rural (PRODEP) há uma semana, depois de ter sido constituído arguido no âmbito do caso Freeport, cá fora, o ministro da Agricultura dizia aos jornalistas que ia "esta tarde" ter uma reunião "com o senhor arquitecto" para falar sobre o assunto. No plenário, José Sócrates dizia que já tinha sido tomada a decisão de nomear um substituto, que é o que "um Governo decente deve fazer". Cá fora, Jaime Silva assegurava que só tomaria uma decisão depois da "tal" reunião. Para um Governo liderado por um primeiro-ministro que se arroga combatente da mentira, este episódio nada abona em seu favor!




Sábado, 30 de Maio de 2009
Sugestão de praia

Um dia com sol e calor como o de hoje convida, sem dúvida, a uns bons mergulhos numa praia ou uns passeios à beira-mar. De há uns anos a esta parte que tenho vindo a descobrir a costa alentejana e as suas belas praias a paisagens. A Lagoa de Santo André, no concelho de Santiago do Cacém, que conheci apenas o ano passado, é um dos poucos paraísos que ainda sobram, num litoral cada vez mais ameaçado por empreendimentos de luxo que o Governo teima em classificar como PIN (Projectos de Interesse Nacional), mas mais não são do que a privatização de um espaço que deveria ser de todos.

Aproveite para relaxar, limpar a mente dos problemas do dia-a-dia, conviver com a família e amigos, conhecer a fauna e flora locais e, por que não?, fazer um piquenique. Durma a sesta à sombra de uma árvore, ponha a leitura em dia ou, simplesmente, contemple o céu. Verá que segunda-feira, começará a semana com um outro espírito.




Sexta-feira, 10 de Abril de 2009
Desculpe, posso ver a cor da sua lingerie?

 

Que a quem preste serviço ao público se exija os mínimos cuidados de higiene e algum esmero no vestir, ainda aceito. Mas que se proíbam as funcionárias do Estado de usarem, em serviço, blusas decotadas, saias muito curtas, gangas, perfumes com cheiro agressivo, roupa interior escura, saltos altos e sapatilhas, já não posso aceitar. 

 

De acordo com a edição de hoje do Correia da Manhã, foram estas as ordens dadas às funcionárias da recém-inaugurada Loja do Cidadão de 2ª geração, em Faro. Além de se tratar de uma medida discriminatória  - por que não proibir também os homens de vestirem calções, camisas com os botões desapertados e sapatilhas?? -  é atentatória da intimidade das funcionárias. Por que razão não podem usar lingerie preta? De que forma vão confirmar, diariamente, se estão a cumprir esta ordem? Vão obrigá-las a despir diante do chefe?

 

Será que o Governo não tem nada de importante em que pensar?




Sexta-feira, 20 de Março de 2009
O anúncio da polémica

O anúncio irritavamente profundamente porque não conseguia perceber que raio de mensagem pretendia transmitir. Tanto a forma como o conteúdo me pareciam totalmente despropositados para publicitar um serviço de notícias e, talvez por isso, não me tenha apercebido dessa mensagem subrepticia contra um dos maiores valores da democracia: o direito à manifestação! A polémica que estalou em torno deste spot publicitário, transmitido amiudadas vezes na RTP, é manifestamente exagerada quando comparada com tantos outros filmes publicitários que passam nos canais de televisão e de rádio, que são publicados nos jornais e revistas e mesmo na Internet. Alguns são verdadeiros atentados a direitos constitucionais e ninguém os critica. Desta vez, só porque o Governo menosprezou a grandeza da manifestação da GGTP da semana passada, considera-se que o anúncio faz parte de uma campanha negra contra quem quer manifestar-se contra o Executivo de Sócrates.




Segunda-feira, 16 de Março de 2009
Assim vai a democracia portuguesa...

A pouco mais de um mês de comemorarmos o 35º aniversário do 25 de Abril, ainda sobrevivem em Portugal vários resquícios de práticas de governo do tempo da outra senhora. Manter o povo na ignorância é ainda uma das melhores formas de o manter calado quanto ao que possa ser mais ou menos lícito em termos de governação, seja ela a nível central ou local. O exemplo que a seguir vos apresento passou-se na freguesia de Canelas, no concelho da Régua, e foi originalmente publicado em Notícias do Douro (www.dodouro.com):

 

 

SECÇÃO: Região

quero, posso e mando
Justiça musculada...

Secretário da Junta de Freguesia de Canelas, Régua, proíbe a presença de municípes em reunião pública da Assembleia de Freguesia

foto
Membros da assembleia abandonam a sala em sinal de protesto e apresentam queixa no Ministério Público
Os membros da Freguesia de Canelas, José Carlos e Paulo Primo abandonaram a última reunião da Assembleia de Freguesia após a proibição por parte do Secretário da Junta de Freguesia não ter permitido a presença de munícipes na mesma.
Após este episódio inédito, já que por lei as Assembleias de Freguesia são públicas, o Presidente da Mesa da Assembleia deu por encerrada a mesma em virtude de entender que não estavam reunidas as condições para funcionamento da mesma.
Temos tido ao longo do tempo uma postura séria e responsável em nome da população de Canelas, no entanto não podemos ficar calados quando verificamos atitudes como a que ocorreu na última Assembleia onde o Secretário da Junta de Freguesia, claramente motivado pelo presidente da junta, é que determinava quem podia ou não estar presente na Assembleia.
Durante estes três anos temos tido uma postura de colaboração tentando alertar o Executivo, assim como todos os elementos que compõem a Assembleia dos graves erros que vêem sendo cometidos. Infelizmente não temos tido a receptividade esperada por parte dos elementos da Assembleia que muitas vezes votam assuntos que permitem que a Junta continue a fazer o que lhes vai na real gana, mesmo sabendo que estão erradas.
Além de não existir rigor e disciplina nas reuniões da assembleia de freguesia, temos certeza que o órgão executivo da junta tem tratado as questões, no que trata ao cumprimento das competências da assembleia de freguesia, com leviandade e descrédito, está á vista de todos que fazem o que bem lhes apetece. Situação com a qual não podemos ser coniventes.
Abandonamos a sala, uma vez que até o Presidente da Mesa da Assembleia foi desautorizado, motivo pelo qual também ele deu por encerrada a Assembleia.
Estamos perante o Órgão máximo da Freguesia e esta postura é inadmissível em democracia, não são publicitadas as Assembleias, como determina a Lei, estivemos cerca de um ano sem reunir desta forma não é possível cumprir a missão para a qual fomos eleitos acompanhar e fiscalizar a actividade do executivo da Junta de Freguesia.
Não é possível a quem foi eleito para defender os interesses da população de Canelas realizar qualquer tipo de acompanhamento e fiscalização se não há reuniões, se não temos conhecimento da actividade da Junta.
Iremos em nome dos superiores interesses da população de Canelas apresentar uma queixa-crime ao Ministério Público, para que os mais elementares princípios pelos quais se rege uma democracia sejam repostos na Freguesia de Canelas.
 

 

 




Sábado, 7 de Fevereiro de 2009
Sócrates e o casamento homossexual

José Sócrates está aflito. Diria mesmo, aflitíssimo. Está a ver que o tapete lhe escorrega cada vez mais debaixo dos pés e que a tão pedida maioria absoluta está cada vez mais longe. Só assim se justifica que, de repente, tenha eleito como tema estruturante de debate nacional o casamento civil entre homossexuais. Logo ele que ainda há meia dúzia de meses rejeitava discutir este assunto no Parlamento, argumentando que o tema que não estava na agenda nem do Governo, nem do PS. O que mudou para que Sócrates alterasse radicalmente a sua posição? O descontentamento do povo para com a sua governação, à qual acresce a vontade férrea de se manter no poder a todo o custo. Mesmo que para isso tenha que se vergar a temas que lhe são particularmente caros. 




Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2009
Em defesa da honra - II

Depois de ontem ter dito que "todos os (processos) de políticos têm de ser rápidos, porque são cidadãos que são o nosso espelho e vão intervir sobretudo neste ano de campanhas eleitorais", a directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal afirmou hoje, em entrevista à SIC, que "são todos iguais perante a lei".

 

 

Cândida Almeida foi mais longe: "Os governos de gestão decidem coisas que não deviam decidir". E exemplificou com o projecto SIRESP (Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança), executado por um governo diferente daquele que o aprovou.




Quarta-feira, 5 de Novembro de 2008
Estou preocupada...

Estou seriamente preocupada com o nosso primeiro-ministro!

 

De verdade que estou.

 

Quer queiramos, quer não, trata-se do líder do Governo que comanda os destinos de Portugal (pelo menos, durante mais um ano). E José Sócrates e os seus ministros diariamente dão sinais claros de desgaste intelectual (para não dizer desonestidade intelectual) de que o caso BPN é só o último episódio.

 

Estou mesmo preocupada. Não é crível que um primeiro-ministro diga uma barbaridade (será que vou ser acusada de delito de opinião?!) como esta, proferida à saída do debate do Orçamento de Estado, na Assembleia da República, a propósito continuidade no cargo do governador do Banco de Portugal: "Há momentos em que temos que escolher entre o infractor e o regulador. Este é o momento para apoiarmos o regulador (...)".

 

Por mais que pense, não consigo vislumbrar uma situação em que um Governo, um Estado, deva defender um infractor, seja ele quem for. Não vivemos num Estado de Direito, no qual quem comete uma transgressão deve ser sancionado? Pode ser discutida a forma e duração desta sanção, mas não a sua aplicabilidade.

 

Será que sou eu quem está errada?


Jamé...: preocupada!


Me, myself & I
Pesquisar neste blog
 
Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


Posts recentes

E agora, sr. Presidente?

Cavaco falou, mas não dis...

Um Governo decente... não...

Sugestão de praia

Desculpe, posso ver a cor...

O anúncio da polémica

Assim vai a democracia po...

Sócrates e o casamento ho...

Em defesa da honra - II

Estou preocupada...

Memórias

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags

Outros Jamé!
Bibliografia
"Génese e desenvolvimento do movimento feminista português (1890-1930)", dissertação de mestrado em História do século XX, FCSH/UNL, Abril de 2005
Em co-autoria: "Memórias da Siderurgia - Contribuições para a História da Indústria Siderúrgica em Portugal", coordenação Maria Fernanda Rollo, ed. História e Câmara Municipal do Seixal, 2005
É @ visitante nº...
Free Counter
Free Counter
Publicidade

Visit Animal friends from Europe
Locations of visitors to this page
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds